O Nerd e o Seu Papel na Política Cultural



- por José Noce


Olá pessoal. Apesar do título, não vim aqui fazer algum tipo de discurso em defesa da doutrina X, do partido Y ou do político Z, e nem contra. Ando meio ausente aqui no blog, eu sei. Pois eu tenho trabalhado em algumas novidades das quais vocês terão notícias muito em breve. Por hora, eis uma notícia mais ou menos recente, mas que senti necessidade de publicá-la aqui com o intuito de também compartilhar algumas reflexões que ela suscitou em mim.

Iniciou-se nos dias 26 a 28 de novembro a plenária final da 5ª Conferência Municipal de Cultura de Belo Horizonte. Esta plenária tinha como objetivo votar as ações e metas em prol da cultura realizadas pela Prefeitura de BH em parceria com a sociedade civil. No entanto, as discussões a respeito dessas pautas se iniciaram muito antes, com as reuniões regionais e os grupos de discussão presenciais e online.

A Conferência, além de representantes do poder público, também reuniu artistas, coletivos e muitos outros interessados na questão das políticas públicas em prol da cultura. Eu e uns poucos comparecemos representando os interesses do público Nerd, como o André Sales da Board Games BH mais o pessoal da GAMinG, entre outros. Afinal, se alguém não for apresentar as demandas do público Nerd pro poder público, não vão ser eles quem irão bater na nossa porta pra nos entregar tudo o que necessitamos de bandeja!

Apesar das discussões prévias, o tempo não foi o suficiente para serem votadas todas as pautas. E por esse motivo a PBH irá estender a plenária para mais dois ou três dias para votar as questões restantes. Até o momento de fechamento desta matéria, ainda não havia uma data concreta, apesar do indicativo ser para fevereiro ou depois do Carnaval. No entanto, sabe-se que as inscrições serão abertas também para quem quiser participar nesses dias, tendo inclusive direito a voto, assim como foi durante toda a Conferência.

No final das contas, isso tudo me fez pensar na importância da nossa atuação para fazer ouvidos os anseios do público Nerd. E quando falo nossa atuação, tô falando é de TODO MUNDO! Não só eu e o pessoal que compareceu lá, mas também você, seus colegas, os clubes de jogos e quem mais se considerar Nerd de alguma forma. Somente unidos teremos uma voz forte o suficiente para fazer o poder público atender as nossas demandas. Como a concessão de espaços públicos para encontros, subsídios financeiros ou estruturais para realização de eventos, produção de conteúdos em formato físico ou digital, entre MUITAS outras possibilidades.

Não vou iludir vocês de que é um mar de rosas, que é só chegar lá e pedir que eles irão fornecer tudo o que a gente tem precisado. Cada pequena vitória será resultado de muita luta, e dependerá somente do nosso esforço e união. Mas o importante é que nós, como Nerds, comecemos a ocupar estes espaços de discussão política para expormos nossas demandas. E também precisamos ir com um olhar crítico, separando a política – que visa o bem comum – da politicagem – que visa interesses escusos e egoístas.

Os mais acomodados irão dizer “Isso não vai dar em nada”. Pois eu lhes digo: seu símbolo químico do cobre! Se por exemplo o pessoal do teatro ou da dança tivesse esse tipo de mentalidade derrotista, eles jamais teriam a força que têm na cena cultural de BH. A questão aqui é: atue em prol da cena Nerd! E eu acho que essa mensagem acaba por extrapolar essa questão, ou mesmo os limites municipais. Atue em prol da sua comunidade, faça a diferença de forma positiva para a realidade que te cerca!

Confiram algumas fotos da plenária na Página da Macunaíma Games. E para aqueles interessados em acompanhar as novidades a respeito das novas datas para a plenária, ou saber mais detalhes sobre a Conferência Municipal de Cultura, basta expressar essa vontade nos comentários que irei buscar esclarecer suas dúvidas da melhor maneira possível. Valeu galera!

2 comentários:

  1. É isso aí, José. Tem toda razão. Política se faz no dia-a-dia. Seu chamado é muito importante. Parabéns pela postura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Filipe, apesar de eu achar que essa deveria ser uma postura natural das pessoas em todos os sentidos, tendo em vista que o ser humano é um animal social que é altamente dependente do meio em que vive. Dae a importância dessa atuação cotidiana e pró ativa.

      Excluir