Campanha: Adote um Novato no RPG

- por José Noce

Voltei galera! Já tinha algum tempo que eu queria de fazer este chamamento entre os veteranos do RPG. Daí com o lançamento do Mês de Mentoria para Mestrar 2022, veio a calhar eu contribuir – mesmo que indiretamente – com os meus vinte centavos. Por isso, com o intuito de também ajudar a nossa comunidade, resolvi lançar esta campanha: Adote um Novato no RPG.

Tenho observado que o nosso hobby vem crescendo razoavelmente nestes últimos dois anos. Muita gente, por conta da pandemia, tem procurado outras formas de entretenimento no conforto e segurança de seus lares. E conteúdos de RPG nas mais variadas redes sociais têm chamado a atenção de muitas pessoas. Já participei de grupos aonde – pasmem – todo santo dia entravam pelo menos três a quatro novatos que assistiram conteúdos de RPG no Tik Tok que geraram neles a vontade de começar a jogar. Pois é, eu também achava até então que essa rede social só servia para gerar momentos de vergonha alheia com pessoas fazendo dancinhas ridículas – mas, vivendo e aprendendo. Além do mais, hoje também há uma maior divulgação do RPG em mídias de massa, como por exemplo na série Stranger Things, entre muitos outros espaços antes inimagináveis para o nosso querido joguinho.

Mas há um detalhe muito importante a ser observado nesse crescimento. Pois antigamente, para entrar no mundo do RPG, você tinha que arrumar um livro, se familiarizar com as regras, e chamar os amigos pra jogar. Não que dificuldades não existissem, como o preço dos livros – especialmente os importados – e de outros acessórios, como dados. Mas a galera dava seus pulos, tae a Geração Xerox que não me deixa mentir.

Por outro lado, hoje existe uma fartura de material RPGístico como nunca antes vista, seja em formato físico ou digital. Este último, inclusive, muitas vezes disponível gratuitamente para baixar – aqui no blog tem um bocado também, que depois vocês podem dar uma conferida. Sem contar a mais variada gama de acessórios, seja para rolar dados, criar mapas, fichas, ou para conseguir jogar remotamente com pessoas de praticamente qualquer canto do mundo. Mas é aqui que entra o porém. O advento de todas essas ferramentas e conteúdos tornam atualmente mais complexa a porta de entrada pro RPG. Longe de mim dizer aqui que “antigamente que as coisas eram boas”. Não é questão de nostalgia, mas sim de que devemos entender que hoje é necessário saber muito mais coisa pra começar a jogar do que antigamente. O problema é que os novatos não têm como saber de cara o que procurar ou aonde procurar. E pra piorar um pouquinho mais a coisa, existe um outro conhecimento essencial, mas que não é ensinado em nenhum livro: o uso das plataformas online, como Discord e Roll20, entre outras. E é nelas aonde tudo acontece, principalmente agora que a gente não pode ficar saindo de casa.

Portanto, o suporte da comunidade pra esse pessoal que vem chegando é de suma importância. Com a nossa ajuda, fica muito mais fácil para os novatos se orientarem, melhorando assim a sua curva de aprendizado. Há inclusive um costume muito interessante lá nas escolas do Japão, e que podemos aproveitar aqui pro RPG. Um senpai, ou aluno veterano, fica responsável por acolher um aluno calouro, ajudando-o assim a se entrosar, apresentando-lhe a escola e aos outros colegas. Também é bom lembrar nessa hora de fazermos o nosso próprio “para-casa”. Ou seja, procurarmos sempre criar um ambiente sadio e acolhedor dentro da comunidade e das nossas mesas, livre de preconceitos e que preze pelo bem estar de todo mundo.

Por isso venho aqui convocar todos vocês para esta campanha. Adotem um, dois, três, quantos novatos vocês puderem! E há várias formas de fazer isso.

A primeira delas, e mais óbvia, é espalhando a “palavra do RPG”. Apresentar o hobby pra quem é de fora é sempre uma boa forma de trazer mais novatos. Também é interessante começar a prestar mais atenção em grupos e redes sociais naqueles pedidos de gente procurando mesa. Porque quase sempre vão haver ali pessoas com pouca ou nenhuma experiência querendo aprender a jogar. E na hora de montar mesa pros novatos, busque escolher sistemas simples para eles começarem do básico. Inclusive essa é uma ótima oportunidade para fazer aquela sua caixa de D&D da Grow ou seus livros de Aventuras Fantásticas verem mesa novamente. Sem contar que recordar é viver! Além disso, você também pode usar jogos simples e gratuitos da internet, que eles podem baixar depois. Há jogos inclusive do tamanho de um folheto, que podem ser impressos e “panfletados” entre a galera ou em eventos, assim que for possível jogar de forma presencial novamente.

Já a segunda forma de contribuir é produzindo conteúdo RPGístico para o público iniciante, seja em formato escrito, podcast ou áudio-visual – o que estiver dentro das suas possibilidades. Pode ser sobre como usar plataformas, dicas de interpretação ou narração, resenhas de sistemas ou cenários, etc. Mas o importante é buscar sempre usar um linguajar simples, sem jargões RPGísticos, e tentando ser o mais didático possível.

Pra quem quiser se aprofundar um pouco mais nesse assunto, eu fiz algumas palestras que podem ajudar a apresentar o RPG para os iniciantes de forma menos complicada. E se os novatos em questão são crianças ou adolescentes, também tenho algumas dicas. Quem ainda não conferiu, pode conferir agora nos vídeos abaixo, espero que sejam úteis pra vocês. E por fim, espero também que vocês passem esta campanha pra frente, pois ela é de suma importância para ajudar nossos padawans. Muito obrigado, valeu pessoal!

Como NÃO apresentar o RPG para iniciantes (RPGCON 2020)

Quando MENOS é MAIS:
Alguns bons motivos para jogar mais RPGs minimalistas 
(RPGCON 2021)

Narrando RPG para crianças e adolescentes (RPGCON 2020)

6 comentários:

  1. E na mesma vibe da nossa campanha, me deparei com esta iniciativa incrível do Jaime Cancela, o Metagamer. Através da Oficina RPG, ele se prontifica a ajudar mestres e jogadores com dificuldades com interpretação, criação de histórias, bullying, etc. Deem uma conferida pq vale muito a pena!

    https://www.facebook.com/OficinaRPG/videos/588565958495660

    ResponderExcluir
  2. Bom texto, até tento ensinar a novatos ( uma das metas de 2021). O grande porém que me deparo é que a grande maioria querem jogar sistema x ( que eu não narro) ou a história igual ao do streemer y ( que convenhamos para um narrador copiar outro é bem frustante)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Entendo bem o seu dilema Jefferson. Comédia romântica deturpa a visão da mulher a respeito do homem, pornô deturpa a visão do homem a respeito da mulher, e Critical Role deturpa a visão dos jogadores a respeito do RPG kkkkkkk.

      Talvez o seu problema seja uma questão de alinhamento de expectativas. O interssante seria vc procurar jogadores alinhados com a sua proposta de jogo. E sobre essa questão de alinhamento de expectativas, tb te indico o meu livro com dicas pra mestres "Vamos Pôr Ordem Nesta Bodega!" Jabá de oportunidade hehehe.

      O RPG está cada dia mais plural, então tem jogos pra tds os gostos. Quem sabe se vc procurasse novatos em grupos de assuntos correlatos aos seus jogos preferidos a adesão seja maior. Ex: se vc curte horror, poderia procurar jogadores em grupos de aficionados pela mitologia lovecraftiana; ou se curte fantasia medieval, procure jogadores entre leitores de Tolkien ou Martin, entre outros.

      E mais um detalhe importante. Não sei se é o caso, mas o seu jogo favorito pode não ser a melhor porta de entrada pra novatos. Não indico iniciar com jogos muito crocantes, feito GURPS ou D&D 5e, ou temas pesados/obscuros demais, tipo Kult ou Vampiro. Tenta usar sistemas mais simples pra começar. Ao invés de Chamado ou Rastro de Cthulhu, vai de Cthulhu Dark ou de Culto ao Lhu; ao invés de D&D, vai de Kids & Dragons. E assim por diante.

      Espero ter sido útil pra você, experimenta essas dicas e depois me fala os resultados pfv. E precisando estamos às ordens. Vlw.

      Excluir
  3. Parabéns pela iniciativa meu querido!

    ResponderExcluir
  4. Adoro RPG mas ninguém do meu ciclo gosta, nem eu tenho experiênçia pra mestrar nada, como achar pessoas para jogar?

    ResponderExcluir